A contar ondas.

IMG_9985a40

Vou contar ondas do mar

Para me ajudar,

Para me ajudar a pensar.

Vou olhar ondas do mar

Só para ver o branco de seu espumar.

Vou lá, em alto mar,

Contar as vagas, as águas, os tons de azul.

Vou lá no verde mar,

Perder a cabeça até acalmar.

Vou lá, longe léguas,

Distante além de meu alcance,

Para perder o que não preciso para viver.

Vou lá para além-mar,

Para quem sabe me perder,

Quem sabe me encontrar.

Vou lá para o distante após o mar,

Porque o aqui me dói e não quero mais ficar.

Por isso sigo as águas que parecem verde ou azul sem fim,

Alcançar aquela cor que me falta aos olhos cinzentos.

Vou lá longe no grande mar, contar ondas até esquecer o que fui fazer.

E quem sabe me lembrar porque precisei ir tão longe para reconquistar.

Navegar, vagar, com vagar, devagar.

Até fazer brilhar em mim todo o verde, o azul, o sol do mar.

Queria poder acreditar

Que apenas parar e olhar o mar

Seria solução para tudo.

Advertisements
Guaiamum – Brazilian Crab

Guaiamum – Brazilian Crab

Criatura arisca. Some ao arrasta-pé. Desliza pela toca escura a sombria criatura. E brilha. E de longa tenaz. É azul a carapaça que combina com o dourado do sol, das pernas, da areia que cintila. Assustadora criatura. Desigual. De olhos … Continue reading

Red Baron – O Barão Vermelho

Imagem

I remember read about the Enemy Ace in comics, and about a Red man. A baron.

Now I can see that the fear is gone and the colours are back.
Red in a blue-sky shall not fear us. It is not a threating anymore.
We are in Brazil, we are just kids. We are playing with planes.

Kids doing what kids do.

 

Lembro-me de ler sobre o Ás Inimigo nos quadrinhos, e sobre um homem Vermelho. Um barão.

Agora eu posso ver que o medo se foi e as cores estão de volta.
Vermelho em um céu azul não nos assusta. Não é a mais uma ameaça.
Estamos no Brasil, somos apenas crianças. Estamos brincando com aviões.
Crianças fazendo o que as crianças fazem.

Há um céu lá em cima – There is a sky up there

Há um céu lá em cima – There is a sky up there

Minha cidade é cinza. Ou uma mescla cinza-esverdeada. Pode ser muito cinza e pesada. Pesa chumbo. Mas há ainda lá, Teimando em restar, Um azul do céu sublime. Leve azul de pluma. Leves são meus pensamentos quando estou alto no … Continue reading